Translate to your language

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Arrumando a bagagem para uma viagem de moto: com medo, indiferença ou cautela?


Como você arruma sua bagagem em viagens de moto? Com medo, indiferença ou cautela?

Decidi viajar de moto, e por muitos dias. E agora, o que levar na bagagem? De quais roupas vou precisar? E se eu ficar doente... remédios? A moto pode apresentar algum problema, devo levar peças sobressalentes? Será que somente o tanque de gasolina da moto é suficiente para cobrir todas as distâncias?

Em viagens de moto, quando se vai logo ali, no “quintal de casa”, e o tempo de trânsito em estrada (seja na ida ou na volta) não durará mais que um dia, fica mais fácil pensar em quais roupas e utensílios levar. Por outro lado, em percursos maiores, pode ser bem mais difícil identificar e separar os itens que realmente serão essenciais para as necessidades do dia a dia daqueles que escolhemos levar apenas para criar a falsa ilusão de que teremos conosco tudo o que é preciso para resolver qualquer inconveniente.


Antes de comentar o que eu e o Pedro julgamos ter sido mais adequado levar como itens de bagagem, já adianto que para identificá-los pesquisamos na internet diversos relatos sobre o mesmo assunto a fim de podermos saber da experiência de outros viajantes, sobre suas justificativas e pontos de vista com relação a escolher um ou outro utensílio.

Top list

No início do planejamento de uma longa jornada de moto, muitas dúvidas e receios aparecem para nos preocupar, principalmente quando se é marinheiro de primeira viagem. Nesse período de busca de informações para a montagem dos melhores itens de bagagem encontramos diversas listas:

  • aquelas dos medrosos - nas quais se pensa em tudo e mais um pouco... e até no que realmente não precisa seja qual for o tipo de trajeto;
  • dos indiferentes - onde o lema é quase um “deixa a vida me levar”;
  • e outras dos, assim digamos, cautelosos - que não são completamente lunáticos e nem muito “largados”.
E como variavam em tamanho e diversidade. Algumas, com centenas de coisas enumeradas ao longo das “Top 500”, outras no entanto, não passavam das “10 +”. Nas maiores listagens, precaução para tudo: condições de frio, calor e temperaturas medianas; para o caso de se passar fome e fartura; pegar estradas de chão de terra e de asfalto, com retas ou curvas; para dormir em hotéis de luxo e na possibilidade de pernoitar no meio do mato; enfim, planejamento para a calmaria entediante e para tormentas de fim de mundo. Por outro lado, nas menores, apenas gasolina no tanque, um pacote de bolachas de maisena, uma garrafinha de água e um terço (1/3) de rolo de papel higiênico para uma dor de barriga inesperada.

Consequentemente, dependendo do temperamento da pessoa, preparar as malas e os equipamentos que serão levados pode se tornar uma tarefa bastante árdua, tentando prever infinitas situações de risco ao longo do trajeto a ser realizado; ou, completamente desleixada, largando-se para trás até mesmo documentos de identificação pessoal.

Em resumo, das inúmeras listas de itens de viagem às quais particularmente tive acesso, na fase de planejamento, percebi que não há um sumário exato do que se deve levar em todas as viagens. Isso porque, dependendo do trajeto que se vai percorrer, alguns objetos serão mais úteis e outros, no entanto, poderão ser até mesmo ignorados. Dessa maneira, penso que para se montar uma boa bagagem de itens a utilizar o viajante deve refletir acerca de algumas condições e circunstâncias, a exemplo:

Qual tipo de clima predominará na maior parte da viagem? Calor? Frio? Chuva?

Assim, já será possível estimar se usará mais roupa de frio ou calor e a quais peças de roupa dar prioridade em cada situação.

Quantos dias de viagem usará para efetivamente realizar passeios turísticos?

Geralmente, em grandes trajetos, passamos mais tempo andando de moto nas estradas do que visitando os pontos turísticos. Dessa forma, penso que fica mais fácil separar algumas poucas peças de roupas que serão usadas para turismo e passeio a pé das que servirão para o batente do dia a dia de viagem. Por exemplo, se a pessoa não for literalmente rolar na terra, uma única calça jeans pode durar muitos dias; por conseguinte, algumas camisas de secagem rápida podem muito convenientemente ser usadas por debaixo do macacão de viagem e, geralmente, são mais fáceis de serem lavadas quando necessário.

Qual a maior distância a ser percorrida entre postos de combustível?

Essa é uma informação importantíssima. Primeiro, e obviamente, para avaliarmos se não correremos o risco de ficarmos sem gasolina no meio do caminho e, segundo, a fim de sabermos se será necessário levar utensílios para abastecimento extra de combustível tais como: galão reserva (quando a legislação permitir o transporte de gasolina nesse tipo de recipiente), mangueira para transferência de combustível, etc.

A moto está devidamente revisada e em boas condições?

Essa pergunta nos permite avaliar o risco de ocorrer algum contratempo com a motocicleta ou, dependendo das condições em que ela será usada, se haverá necessidade de levar alguma peça de reposição.

O roteiro da viagem contempla acesso fácil a recursos para resolver algum problema com o veículo?

Em outras palavras, encontrarei facilmente pessoas capazes de resolver algum problema mecânico ao longo do percurso da viagem? Ou terei que me virar sozinho caso tenha a infelicidade de esbarrar com a necessidade de trocar alguma peça ou realizar ajustes? O exemplo mais clássico que posso dar é o do pneu furado no meio do caminho (e o que é pior, em algum local mais isolado da civilização). Nesse último caso, será cabível pensar a respeito de se levar as ferramentas necessárias para efetuar quaisquer manutenções.


Uma atividade que no nosso caso ajudou bastante, nessa etapa do planejamento, foi aproveitar a disponibilidade das ótimas imagens registradas pelo Google Maps para realizarmos uma viagem antecipada ao longo do trajeto idealizado, tentando identificar as certezas e realidades do caminho. Por exemplo, visualizando as imagens de satélite, se descobrirmos que em algum ponto do percurso, entre dois postos de abastecimento, haverá distâncias maiores do que a autonomia do tanque de gasolina da moto, então, poderemos prever a necessidade de incluir na bagagem um galão extra de combustível. Uma segunda utilidade seria a de descobrir e visualizar onde há estrada de chão de terra e onde o asfalto poderá estar presente.

Naturalmente, dessa reflexão toda, e a partir do estudo dos relatos de outros motociclistas, chegamos a uma conclusão e montamos uma lista de bagagem com os itens que julgamos serem os mais convenientes para a realidade do percurso que teríamos pela frente (veja no link a seguir o Trajeto da viagem - Expedição América do Sul). Justificadamente, em outras circunstâncias, alguns itens poderão ser acrescentados ou excluídos, porém, tomando por base o espaço que tínhamos nos alforges e bauleto traseiro, concluímos pelo seguinte (adapte para as suas necessidades):

Higiene e cuidados pessoais

  • Escova de dentes;
  • Pasta de dentes;
  • Xampu - desses de frasco menor. Sabonete o hotel sempre fornece e caso não tenha, “larga de ser fresco”... use o próprio Xampu. Já estou te deixando levar Xampu, pois, para mim serviria apenas sabonete líquido mesmo;
  • Desodorante - desses que garantem 48 horas perfumado, para o caso de ficar sem saída e precisar ficar algum dia sem banho;
  • Pente de cabelo;
  • Toalha de banho pequena;
  • Papel higiênico - por favor, não vá pegar o do hotel não... para levar na estrada, compre um para você antes;
  • Protetor labial;
  • Fio dental - refiro-me àqueles para higiene bucal apenas;
  • Lenços umedecidos;
  • Talco - pode ser bastante útil para jogar dentro da bota, porém, principalmente porque se arder... duvido que você não vai querer deixar a virilha sequinha;
  • Protetor solar.

Medicamentos e primeiros socorros


ATENÇÃO: Estes são remédios que posso tomar. Consulte seu médico para saber a respectiva medicação recomendada para você.

  • Buscopan (cólicas, analgésico);
  • Aspirina (analgésico);
  • Voltaren/Nimesulida (anti-inflamatório);
  • Kolantyl (antiácido);
  • Plasil (náuseas e vômitos);
  • Pyridium (infecção urinária);
  • Imosec (diarreia);
  • Cataflam / Dorflex (dores, inflamação);
  • Colírio para os olhos;
  • Merthiolate;
  • Repelente de insetos;
  • Eno (sal de frutas);
  • Gaze;
  • Ataduras;
  • Esparadrapo;
  • Termômetro;
  • Água oxigenada;
  • Pastilhas para dor de garganta;
  • PVPI (desinfetante);
  • Tesoura;
  • 3 pares de luvas médicas/cirúrgicas.
Dica: provavelmente, você vai querer remover a embalagem interna dos remédios e descartar as caixas que são volumosas e ocuparão muito espaço na bagagem. Então, utilizando um pedaço de fita adesiva, não esqueça de prender a bula do medicamento à respectiva embalagem interna para não se confundir depois, na hora de ingeri-los, caso seja necessário utilizar algum.


Vestuário


Arrumando as roupas para a Expedição América do Sul - set/2013.

  • 2 conjuntos segunda pele – para usar debaixo do macacão de viagem ou para dormir;
  • 2 calças;
  • 3 camisas para turismo e 5 para a pilotagem;
  • Um casaco de frio;
  • 10 cuecas;
  • 8 pares de meia na bagagem e um no pé;
  • Chinelo de dedo;
  • Sapatênis - opcional, pois, costumo utilizar a própria bota de viagem nos passeios;
  • Gorro - para cobrir cabeça e orelhas em temperaturas mais baixas;
  • Chapéu - opcional;
  • Jaqueta/calça de viagem de cordura/couro - se for impermeável, pode dispensar a capa de chuva. Não conheço as de couro, mas, algumas de cordura têm forro interno que pode ser usado em temperaturas mais frias;
  • Botas de viagem - recomendo fortemente que sejam impermeáveis. Caso contrário, haverá a necessidade de utilizar galochas para motociclistas, o que poderá ser bastante inconveniente;
  • Capa de chuva - essencial se o macacão de viagem não for impermeável. No calor, tudo bem tomar uma chuva para refrescar, mas, no frio, aposto que você não vai querer ficar molhado;
  • Balaclava - em climas frios e de temperatura baixa, se o capacete não for bem vedado, o vento que entra pela parte inferior pode gelar o rosto e se tornar muito incômodo. Nesse caso, uma balaclava vai ajudar muito;
  • 1 luva de couro/cordura de verão para momentos de clima mais quente;
  • 1 luva de lã fina ou segunda pele para turismo;
  • 1 luva de couro, impermeável, para suportar o frio na estrada;
  • Bermuda de bicicleta acolchoada - sempre uso em minhas viagens. É uma "mão na roda". Ou melhor, uma almofada no traseiro;
  • 1 cinta abdominal para firmar a “lombar” (opcional);
  • Cartão de identificação do piloto contendo nome, tipo sanguíneo, endereço, telefone das primeiras pessoas para quem se deve ligar em caso de acidente (não coloque pai e mãe nas primeiras posições), etc. Deixar só por conta do reconhecimento da arcada dentária é sacanagem.

Equipamentos / Ferramentas para a moto


  • Manual da moto;
  • Kit de ferramentas original;
  • Chaves, original e reserva, de todos os equipamentos (moto, bauletos, etc);
  • Câmaras de ar reserva para os pneus (dianteiro e traseiro) - para quem tem moto de pneus com câmara;
  • Reparador instantâneo de furos de pneu - pode ser outra “mão na roda” no caso de um pneu furar. Dá uma sobrevida ao pneu até conseguir chegar em um mecânico / borracheiro. Já li casos nos quais nem foi preciso reparo posterior... mas, por favor, leve um que funcione (leia o relato do “Dia 20 - Quem mandou você não trocar esse pneu antes?” para saber o que aconteceu);
  • Espátulas (2) - em casas de ferramentas é bem fácil encontrar espátulas de tamanho reduzido e de boa qualidade. Esse é um tipo de item que fazemos torcida para não precisarmos usar nunca;
  • kit de reparo a frio para câmara de ar - esses de bicicleta são bem práticos;
  • Bomba portátil de encher pneu;
  • Mangueira para transferência de combustível;
  • Cabo de carga de bateria - a retirar da lista, pois, peça para o mecânico testar sua bateria antes da viagem. Assim, se estiver em boas condições, esqueça esse item;
  • Graxa ou óleo para lubrificar corrente;
  • Lâmpadas de reserva (farol alto/baixo, lanterna traseira, setas);
  • Fusíveis - leve dois de cada tipo utilizado na motocicleta;
  • Rede elástica aranha (3) - envolvi os alforges com um par delas e outro usei para prender o galão de gasolina reserva no espaço do carona;
  • Cabo elástico (2);
  • Trava antifurto (cadeado ou trava de freio);
  • Galão reserva de gasolina - para as viagens em que a distância entre alguns postos de combustível é maior que a autonomia do tanque da moto;
  • Vela de ignição;
  • Corda de amarração - para prender a moto na locomoção em cima de caminhonete, barco ou trem;
  • Filtro de óleo - para troca de óleo em locais onde dificilmente esse item não estará disponível para aquisição;
  • Cabo de embreagem - é bom pedir ao mecânico para dar uma boa conferida antes de sair, pois, esse item é mais propício a arrebentar mesmo;
  • Cabo de acelerador - se você não for um “enrolador de cabo”, que frequentemente gira o manete do acelerador com toda a força, não terá que se preocupar muito com esse item. Levo só por precaução mesmo.

Utensílios diversos

  • Fita adesiva silver tape;
  • Bloco de anotações e 2 canetas - para registrar e fazer um lembrete dos acontecimentos de cada dia da viagem;
  • Sacos plásticos zip - para guardar documentos, dinheiro, objetos que não podem molhar, etc;
  • Câmera digital, carregador e baterias adicionais;
  • Celular e carregador;
  • Mapas impressos do trajeto e/ou GPS com mapas atualizados e carregador - no artigo “Mapas rodoviários impressos e para GPS” explico onde encontrar mapas de viagem para GPS Garmin e guias rodoviários do Brasil e diversos outros países;
  • Netbook e carregador - menor e mais fácil de transportar. No meu caso, gosto de filmar boa parte do trajeto da viagem, então, uso o computador como fonte extra de armazenamento dos vídeos e fotos registradas. É necessário que o computador tenha entrada para cartão de memória, caso contrário, será necessário incluir mais um item que será o leitor de cartão de memória;
  • HD externo - para o caso de não caber tudo na memória do netbook;
  • Pen drive - contendo informações a respeito da viagem;
  • Óculos de sol;
  • Flanela
  • Lanterna e pilhas - para o caso de necessitar na estrada durante a noite;
  • Isqueiro - pensa que sou bobo? Ou você acha que vou acender fogueira batendo pedra e fazendo faísca?;
  • Canivete suíço;
  • Pedaços de arame;
  • Presilhas de plástico;
  • Cola instantânea;
  • Adaptador de tomadas to tipo “ T ”;
  • Extensão de tomada - para ligar os carregadores dos aparelhos eletrônicos;
  • Adaptador universal de tomadas (opcional, leve apenas quando tiver certeza de que vai precisar).

Além disso, obviamente, não esqueça de levar os documentos de identificação pessoal, os da moto e todos aqueles exigidos pelos países onde o trajeto da viagem passará (em um futuro artigo falarei a respeito da documentação exigida em alguns países da América do Sul).

No mais, boa viagem!

`Malas prontas para a Expedição América do Sul - set/2013.

Ahhh! Já ia esquecendo...

Mesmo que você pense em tudo, se ainda assim estiver muito receoso a respeito dos riscos, sugiro que vá de avião. Andar de moto, naturalmente, já pressupõe estar diante de algum perigo. Quanto aos motivos, você mesmo pode imaginar alguns. Em uma longa viagem de moto...

  • Frio? Vai sentir sim, e não vai nem precisar subir a serra.
  • Calor? Garanto que se você já estiver vestido com seu macacão de viagem, pronto para sair, já estará sentindo.
  • Sustos? Um atrás do outro. Está certo, estou exagerando, mas, “sustinhos” sei que vai ter com aquele passarinho voando raso; ou o inseto que se espatifa na viseira do capacete; com o cachorro que inesperadamente atravessa a estrada... e quando for uma vaca então. Ai minha nossa!
  • Cansaço? Ora, após um dia inteiro motocando...
  • Incômodos? Sentirá todos os possíveis: é uma orelha ou o nariz que coça dentro do capacete; aquela luva mal encaixada nos dedos e que “dá nos nervos”; uma costura mal feita ou meio solta da jaqueta / camisa e que fica atritando com a pele; os braços que fatigam; as pernas que se cansam pilotando em uma mesma posição por horas; sem falar no traseiro dormente.
Enfim, se após ler essa lista de inconvenientes, sem incluir aqueles que não citei e você pode imaginar sozinho, ainda achar que, ao final, as alegrias sentidas e a sensação de ter conquistado um objetivo valerão mais que as angústias e a pena de enfrentar os infortúnios e desconfortos do caminho, então, passemos à próxima fase do planejamento...


Já pensou no que levará na sua viagem? Carregará tudo, mais um pouco e até o mecânico na garupa? Ou seu estilo é mais o “deixa a vida me levar”, aventureiro radical... e que vai fazer até cocô no mato? Só tome cuidado com a “urtigueira”, hein! Dê sua opinião comentando abaixo.

SOBRE O AUTOR

25 comentários:

  1. Belo relato da sua viagem, já tive a oportunidade de ir ao Chile de moto e o próximo passo é o Peru, parabéns e tenha sempre boas viagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mica, obrigado pelo elogio! O Chile é um lugar bem legal. Pena que pudemos passar apenas 1 dia em San Pedro de Atacama/Chile. Tenho que voltar lá para conhecer mais.

      Você vai gostar do Peru também, não deixe visitar Machu Picchu, parada obrigatória.

      Também lhe desejo felicidades nas viagens.
      Abraço.

      Excluir
  2. Parabéns meu amigo e obrigado pelas dicas, com certeza vai me ajudar muito, abraços e Ushuaia vem aí

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Olá Otavio! A intenção é essa: ajudar e compartilhar a experiência.
      Um abraço!

      Excluir
  4. Muito top suas dicas. vou estar viajando na costa do Pacífico com minha falcon, vou com a namorada. Meu projeto é surfar o Equador, Peru e Chile. foi de grande ajuda para planejar minha viagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gerson, fico feliz que o artigo tenha ajudado. Quando precisei viajar tive muitas dúvidas também e a leitura de outros relatos me ajudou da mesma forma.

      Desejo-lhe boa viagem, nessa e em todas as outras!
      Um abraço!

      Excluir
  5. Muito top suas dicas. vou estar viajando na costa do Pacífico com minha falcon, vou com a namorada. Meu projeto é surfar o Equador, Peru e Chile. foi de grande ajuda para planejar minha viagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Gerson,
      tenho certeza que vai ser uma ótima viagem. O trecho por onde passei na costa do pacífico, entre Iquique e Antofagasta no Chile, é muito bonito. Imagino que mais lá para cima seja também. Fico feliz que as dicas têm ajudado.

      Um abraço.

      Excluir
  6. preciso viajar para parnaiba piaui e preciso de parceiro companhia para essa viagem. sou de brasilia df

    ResponderExcluir
  7. viagem de aventura não necessidade. Quem deseja viajar de moto para parnaiba piaui de brasilia-df, contate 061-993773344.

    ResponderExcluir
  8. Olá Gilberto, gostei das dicas de viagem. Com certeza ajudará bastante na viagem que pretendo fazer para parnaiba piaui

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blz Everardo!
      Desejo-lhe boa viagem! Espero que encontre alguém para lhe fazer companhia!

      Excluir
  9. Legal tuas dicas estou passando para meu esposo que vai para o Chile no dia 16 de outubro e não se preocupou com a lista, farei para ele , mas o seguro de vida já fez, fico mais tranquila, que ele faça uma excelente viagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Laura!
      É sempre bom tomar algumas precauções, penso assim. De qualquer forma, espero que seja uma ótima viagem.

      Um abraço!

      Excluir
  10. Otimas dicas. Continue sempre esse cara legal

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito do do texto. Certeza que vai ajudar muito.
    Meu esposo e eu estaremos indo do RJ ao Chile em janeiro..estamos muito animados! Suas dicas estão valendo ouro rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Juliana!
      Ahhh!!! Tenho certeza que vai ser uma ótima viagem. É uma experiência muito legal. Vocês vão gostar... e fico feliz que as dicas aqui tenham ajudado.

      Um abraço!

      Excluir
  12. Desculpe a ignorancia. Mas pq as espatulas???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tipo, seria para o caso de pegar barro e ficar com o solado da bota cheio de barro e poder tirar com mais facilidade com a espatula??

      Excluir
    2. Opa. Que isso. Não é ignorância não! Fique à vontade para perguntar.

      Posso ter me expressado mal no texto. A finalidade das espátulas é para o caso de precisar remover o pneu da moto para fazer uma troca de câmara de ar furada na estrada. Então, essas ferramentas são para ajudar nessa tarefa.

      Foi até bom você me ter chamado atenção para esse ponto, pois, nesse caso, fui reler o texto e vi que realmente não expliquei com clareza para que servem alguns dos itens da bagagem. Mesmo porque (e não sei se é o seu caso), há leitores que podem não pertencer ao "mundo" do motociclismo, e assim, sem uma explicação mais clara, ficariam em dúvida a respeito de algumas expressões do texto.

      Vou acrescentar ao texto algumas considerações.

      Obrigado!

      Excluir
  13. Parabéns pela sua postagem. Muito esclarecedora e bem completa.
    Muito grato por compartilhar suas dicas. Serão muito úteis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Espero que as dicas ajudem. Procuro me atentar aos detalhes porque, em minhas pesquisas, é nos detalhes que me aparecem muitas dúvidas.

      Obrigado!

      Excluir


ATENÇÃO! Comentários são sempre bem vindos por incentivarem o debate, a troca de informações e enriquecerem bastante o conteúdo do artigo. Contudo, justificadamente, foram estabelecidas normas na Política do Site que estipulam algumas restrições. Em resumo, poderão ser removidos:
  • se não tiverem relação com os assuntos abordados no artigo;
  • caso contenham links para divulgação não autorizada de blog ou site (comente com seu Nome/URL ou OpenID, nesse caso);
  • se possuírem propagandas de qualquer natureza - spam;
  • caso apresentem palavras grosseiras ou ofensas a quaisquer pessoas ou marcas;

Categorias