Translate to your language

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Dia 14. O chef misterioso e o maitre que miava


Quinta-feira, 12 de setembro de 2013.
De Cusco/Peru a Ollantaytambo/Peru (78 km).

Em um dia confortável de viagem comemos "Trucha al limon" na bela visita às Salinas de Maras. Em Ollantaytambo, o maitre só miava... Este é o relato de mais um dia na Expedição América do Sul, uma viagem de moto que fiz acompanhado do primo Pedro passando por alguns países da América do Sul durante o mês de setembro de 2013. Uma viagem extraordinária em que foram vivenciadas muitas emoções ao longo do trajeto. Passamos calor e frio, tivemos alegrias e dificuldades, momentos de tranquilidade e apreensão. Continue lendo para acompanhar a viagem.


Trajeto do dia:

Trajeto de Cusco / Peru a Ollantaytambo / Peru - 78 km.
Trajeto de Cusco / Peru a Ollantaytambo / Peru.
Trajeto detalhado:

Trajeto detalhado de Cusco / Peru a Ollantaytambo / Peru - 78 km.
Trajeto detalhado de Cusco / Peru a Ollantaytambo / Peru.


Antes, um ligeiro passeio

Levantamos cedo, tomamos café e saímos para tentar imprimir os ingressos de Machu Picchu do Pedro. Tivemos que caminhar um pouco pelas estreitas ruas em volta da praça de armas até encontrarmos uma pequena gráfica.

Café da manhã no hotel em Cusco / Peru.
Café da manhã no hotel em Cusco / Peru.



Um passeio rápido pelo centro histórico de Cusco / Peru.
Um passeio rápido pelo centro histórico de Cusco / Peru.


Chafariz no centro histórico de Cusco / Peru.
Chafariz no centro histórico de Cusco / Peru.

Depois de resolvido o problema da impressão do ingresso de Machu Picchu, resolvemos caminhar mais um pouco pela praça e suas redondezas para conhecermos melhor o lugar e tirarmos algumas fotos. 


Uma volta na praça central de Cusco / Peru.
Uma volta na praça central de Cusco / Peru.



Bondinho de turismo saindo da praça central em Cusco / Peru.
Bondinho de turismo saindo da praça central em Cusco / Peru.

À medida que andávamos, o Pedro parava em cada loja por onde passávamos para comprar lembranças.

Pedro fazendo compras em Cusco / Peru.
Pedro fazendo compras em Cusco / Peru.

Igreja central em Cusco / Peru. Centro histórico.
Igreja central em Cusco / Peru. Centro histórico.



Pose para foto na praça central em Cusco / Peru.
Pose para foto na praça central em Cusco / Peru.
De volta ao albergue e preparando a saída.

Preparando para partir do hotel em Cusco / Peru.
Preparando para partir do hotel em Cusco / Peru.



Hall de entrada do hotel em Cusco / Peru.
Hall de entrada do hotel em Cusco / Peru.

Antes de sairmos o funcionário do albergue pegou um folheto, que continha o mapa turístico do centro de Cusco/PE, e nos mostrou como poderíamos encontrar a saída para Ollantaytambo/PE, nossa próxima cidade-destino.


Mapa do centro histórico de Cusco / Peru.
Mapa do centro histórico de Cusco / Peru.

Circuito turístico do vale sagrado dos Incas.
Circuito turístico do vale sagrado dos Incas.


Uma parada no meio do caminho

Enfim, iniciamos a viagem para Ollantaytambo/PE que, em verdade, não seria uma viagem, mas, apenas um passeio, haja vista a pouca distância entre as duas cidades.

Ruas estreitas no centro histórico de Cusco / Peru.
Ruas estreitas no centro histórico de Cusco / Peru.



Região pobre na saída de Cusco / Peru, subindo para Urubamba / Peru.
Região pobre na saída de Cusco / Peru, subindo para Urubamba / Peru.



Bonita paisagem rumo a Ollantaytambo / Peru.
Bonita paisagem rumo a Ollantaytambo / Peru.



Árvores enfeitando a paisagem no caminho para Ollantaytambo / Peru.
Árvores enfeitando a paisagem no caminho para Ollantaytambo / Peru.



Paisagem árida rumo a Ollantaytambo / Peru.
Paisagem árida rumo a Ollantaytambo / Peru.



Belo trajeto de montanhas rumo a Ollantaytambo / Peru.
Belo trajeto de montanhas rumo a Ollantaytambo / Peru.

Aproximadamente, no meio do caminho, nos desviamos alguns poucos km da estrada principal, a fim de visitarmos as Salinas de Maras. As Salinas de Maras ficam situadas a 1 km do povoado de Maras (na província de Urubamba) e, mais ou menos, 40 km ao norte de Cusco.

Pedro sinalizando o caminho para as Salineras de Maras / Peru.
Pedro sinalizando o caminho para as Salineras de Maras / Peru.



Desvio para as Salineras de Maras / Peru.
Desvio para as Salineras de Maras / Peru.



Estrada de terra para as Salineras de Maras / Peru.
Estrada de terra para as Salineras de Maras / Peru.
A quinhentos metros antes de chegar às salinas uma funcionária cobra $7 nuevos soles (US$2,49) de quem deseja prosseguir e conhecer o lugar.


Pedágio para visitar as Salineras de Maras / Peru.
Pedágio para visitar as Salineras de Maras / Peru.

Boleto de visita para as Salineras de Maras / Peru.
Boleto de visita para as Salineras de Maras / Peru.



Estrada da morte nas Salineras de Maras / Peru.
Estrada da morte nas Salineras de Maras / Peru.



Salineras de Maras / Peru, vista do alto.
Salineras de Maras / Peru, vista do alto.



Chegando nas Salineras de Maras / Peru. Vista do alto.
Chegando nas Salineras de Maras / Peru. Vista do alto.



Uma bela vista das Salineras de Maras na curva.
Uma bela vista das Salineras de Maras na curva.



Turistas andando de quadriciclo nas Salineras de Maras / Peru.
Turistas andando de quadriciclo nas Salineras de Maras / Peru.
Na entrada existem algumas lojinhas que vendem acessórios e utensílios típicos da região. Para quem quiser almoçar por ali mesmo (como nós fizemos), também há um restaurante com vista para as salinas.


Pedro comprando lembranças. Salineras de Maras / Peru.
Pedro comprando lembranças. Salineras de Maras / Peru.



Pose para foto nas Salineras de Maras / Peru.
Pose para foto nas Salineras de Maras / Peru.



Pedro e Gilberto nas Salineras de Maras / Peru.
Pedro e Gilberto nas Salineras de Maras / Peru.



Registrando presença nas Salineras de Maras / Peru.
Registrando presença nas Salineras de Maras / Peru.

Pedro fazendo pose para foto nas Salineras de Maras / Peru.
Pedro fazendo pose para foto nas Salineras de Maras / Peru.
Foto cedida pelo Pedro.
O local é formado por diversos tanques de evaporação de água, muito salgada, que escorre por um córrego subterrâneo. Esses tanques são abastecidos por um sistema de canais, construído e explorado desde a época dos Incas, que intercepta o fluxo da corrente de água e o direciona para o preenchimento de centenas de compartimentos existentes ao longo da encosta de uma montanha.

Esses pequenos “terraços d'água” (de baixa profundidade – em torno de 30 centímetros) são construídos em formato retangular compondo uma escadaria e de modo que, aproveitando a ação da gravidade, o fluxo da corrente de água possa fluir por toda a cadeia de tanques construídos.

Após um tanque estar cheio de água e sal, que se acumula no fundo. a comporta que o abasteceu é fechada. Ao longo de alguns dias exposta ao sol, a água represada evapora, deixando o sal para ser recolhido, criando um belo contraste com a vegetação local. Por meio de um sistema de cooperativa, qualquer cidadão da cidade pode possuir um tanque para produção de sal.

Bela paisagem nas Salineras de Maras / Peru.
Bela paisagem nas Salineras de Maras / Peru.



Pose para foto nas Salineras de Maras / Peru. Vista para trás.
Pose para foto nas Salineras de Maras / Peru. Vista para trás.


Cuidado com o barranco nas Salineras de Maras / Peru.
Cuidado com o barranco nas Salineras de Maras / Peru.



Pedro nos bastidores. Salineras de Maras / Peru.
Pedro nos bastidores. Salineras de Maras / Peru.



Salineras de Maras / Peru.
Salineras de Maras / Peru.


Pedro nas Salineras de Maras / Peru.
Pedro nas Salineras de Maras / Peru.
Foto cedida pelo Pedro.


Salineras de Maras / Peru vista por outro ângulo.
Salineras de Maras / Peru vista por outro ângulo.


Pequenos escorredouros de água nas Salineras de Maras / Peru.
Pequenos escorredouros de água nas Salineras de Maras / Peru.
Foto cedida pelo Pedro.

Deu fome

Experimentei um prato típico chamado “Trucha (truta) al Limón”.


Intervalo para o almoço nas Salineras de Maras / Peru.
Intervalo para o almoço nas Salineras de Maras / Peru.
Seguimos em frente e chegamos em Ollantaytambo pelas 15h. Achamos conveniente irmos diretamente comprar as passagens de trem para Aguas Calientes, antes de qualquer outra coisa. Inicialmente, pensamos em ir para Aguas Calientes nesse mesmo dia e pernoitar por lá, a fim de evitarmos contratempos que pudessem comprometer a visita a Machu Picchu.

Subindo para Ollantaytambo / Peru.
Subindo para Ollantaytambo / Peru.



A vista da estrada por outro ângulo no caminho para Ollantaytambo / Peru.
A vista da estrada por outro ângulo no caminho para Ollantaytambo / Peru.



Bela paisagem. no trajeto para Ollantaytambo / Peru.
Bela paisagem. no trajeto para Ollantaytambo / Peru.


Já vejo Machu Picchu

Ruas estreitas em Ollantaytambo / Peru.
Ruas estreitas em Ollantaytambo / Peru.
Vista da praça principal de Ollantaytambo/PE.


Praça central em Ollantaytambo / Peru.
Praça central em Ollantaytambo / Peru.
Em uma das duas empresas de trem que operam na região as passagens já haviam esgotado para esse dia. A outra só abriria às 16h.


Comprando passagem de trem para Águas Calientes / Peru.
Comprando passagem de trem para Águas Calientes / Peru.
Enquanto isso, saímos para procurar um hotel por perto a fim de nos estabelecermos e guardarmos a bagagem.

Entrada do hotel em Ollantaytambo / Peru.
Entrada do hotel em Ollantaytambo / Peru.
Uma vez acomodados no hotel (a 100 metros da bilheteria e uns 300 metros da estação de trem), conversamos a respeito de viajar nesse mesmo dia e dormir em Aguas Calientes ou ficar em Ollantaytambo para sairmos bem cedo no dia seguinte.


Bela vista da montanha no hotel em Ollantaytambo / Peru.
Bela vista da montanha no hotel em Ollantaytambo / Peru.


Como eu já tinha me certificado de que haveria passagens de trem no primeiro horário do dia seguinte, que nos daria uma boa folga para chegarmos a tempo em Machu Picchu, então, decidimos adiar a viagem de trem para o dia seguinte. Mesmo assim, voltei à bilheteria da empresa de trem, naquela mesma hora, e comprei os bilhetes de passagem.


Um restaurante misterioso

Descansei um pouco e fomos jantar pelas 19h30.

Andamos uns cinco minutos até a praça principal da cidade e demos uma volta pelas várias lojas do comércio local. O Pedro teve a idéia de comprar uma bengala para ajudar na caminhada em Machu Picchu e acabei comprando uma também.

Jantamos em um restaurante em que havia uma escada em espiral que dá acesso ao segundo andar, onde estavam as mesas. Assim que entramos vimos um funcionário chegar correndo para nos atender.


Hora da janta em Ollantaytambo / Peru.
Hora da janta em Ollantaytambo / Peru.

Restaurante bem decorado em Ollantaytambo / Peru.
Restaurante bem decorado em Ollantaytambo / Peru.

chef, muito atencioso, pareceu-nos que trabalhava em dois lugares ao mesmo tempo, pois, assim que serviu nosso pedido, sumiu... deixando-nos sob os cuidados de seu maitre: um gato inquieto, todo  despenteado e que não parava de miar.

Ao terminarmos, procuramos o chef, mas, não o encontramos. Tentamos, improdutivamente, solicitar a conta ao maitre, porém, parece que ele mal se importava com a nossa presença. Então deixamos, em cima do balcão, o pagamento do que havíamos consumido e quando estávamos saindo nos deparamos com o chef, que deve ter subido a escada toda em dois pulos. Apontamos o pagamento da conta, deixado no balcão.


Praça central de Ollantaytambo / Peru à noite.
Praça central de Ollantaytambo / Peru à noite.


Quadro de Machu Picchu em restaurante de Ollantaytambo / Peru.
Quadro de Machu Picchu em restaurante de Ollantaytambo / Peru.
Em seguida, demos uma pequena volta para conhecermos as redondezas da praça e voltamos para o hotel. Interessante observar como as ruas são bastante estreitas permitindo, apenas, a passagem de pessoas.

Ruas bem estreitas em Ollantaytambo / Peru.
Ruas bem estreitas em Ollantaytambo / Peru.


Um beco em Ollantaytambo / Peru.
Um beco em Ollantaytambo / Peru.
Fui dormir cedo porque o dia seguinte, imaginava, seria muito cansativo.

Hotel: $84,00 nuevos soles (US$29,91)

Dicas de viagem

  • Na visita a Machu Picchu, quem vai realizar a subida à montanha Huyna Picchu no primeiro horário do dia pode tranquilamente dormir em Ollantaytambo/PE e pegar o primeiro horário do trem para Águas Calientes. Há tempo suficiente para chegar em Machu Picchu dentro do horário estipulado de subida ao monte Huayna Picchu. Apenas alerto que Machu Picchu é um local bastante visitado em qualquer época do ano e, se possível, os bilhetes de trem devem ser comprados com antecedência. Quem esperar para comprar somente no dia anterior corre o risco de não encontrar bilhetes disponíveis para o primeiro horário do trem.
  • Caso a visita a Machu Picchu seja apenas um bate-e-volta no mesmo dia, também recomendo comprar antecipadamente os bilhetes da volta, pelo mesmo motivo citado anteriormente.
  • Para quem fica nas redondezas da praça principal de Ollantaytambo, é fácil chegar à estação de trem, bastando fazer uma caminhada de 10 minutos pela mesma rua onde os ingressos de trem para Águas Calientes são comprados.
  • Não adianta comprar bastões de caminhada porque em Machu Picchu não é permitido utilizá-los.



SOBRE O AUTOR

0 comentários:

Postar um comentário


ATENÇÃO! Comentários são sempre bem vindos por incentivarem o debate, a troca de informações e enriquecerem bastante o conteúdo do artigo. Contudo, justificadamente, foram estabelecidas normas na Política do Site que estipulam algumas restrições. Em resumo, poderão ser removidos:
  • se não tiverem relação com os assuntos abordados no artigo;
  • caso contenham links para divulgação não autorizada de blog ou site (comente com seu Nome/URL ou OpenID, nesse caso);
  • se possuírem propagandas de qualquer natureza - spam;
  • caso apresentem palavras grosseiras ou ofensas a quaisquer pessoas ou marcas;

Categorias