Translate to your language

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Dia 30. De volta para casa



Domingo, 31 de agosto de 2014.
De Santa Rita do Sapucaí/MG a Belo Horizonte/MG (415 km).
Ao final dessa viagem ao nordeste, várias lições foram aprendidas e muitas bons momentos ficaram registrados na memória. Este é o relato de mais um dia na Expedição Litoral Nordestino, uma viagem de moto que realizei sozinho pelo nordeste brasileiro durante o mês de agosto de 2014. Belíssimas paisagens foram vistas e muitas experiências foram vividas: da calmaria de um encantador pôr do sol em Jericoacoara/CE à fuga alucinada, na calada da noite, em Petrolina/PE... fortes emoções foram vivenciadas. Continue lendo para acompanhar a viagem.

Disseram-me que quem sonha alto o tombo é grande. Só que se esqueceram de me perguntar se eu tenho medo de cair. - Bob Marley


Trajeto do dia

Trajeto Santa Rita do Sapucaí/MG a BH/MG.
Trajeto Santa Rita do Sapucaí/MG a BH/MG.


Enfim, de pé para o último dia dessa viagem, para os 400 km restantes. Dia de passar pela mesma estrada tantas outras vezes já utilizada, a BR-381 (entre Belo Horizonte/MG e São Paulo/SP). A parte da manhã passei mais tranquilo, quieto dentro de casa, “jogando conversa fora” com os parentes.

Por volta das doze badaladas, fomos almoçar na casa do primo Pedro, companheiro de outras aventuras (Motociclistas aventureiros da Expedição América do Sul).

Almoço com a tia e primos.
Almoço com a tia e primos.
Algum tempo depois, definitivamente, mirei o rumo de casa e parti para a estrada.

Hora de retornar para BH/MG após o almoço.
Hora de retornar para BH/MG após o almoço.

Igreja matriz de Santa Rita do Sapucaí/MG.
Igreja matriz de Santa Rita do Sapucaí/MG.

Santa Rita do Sapucaí/MG ao fundo.
Santa Rita do Sapucaí/MG ao fundo.

Vá conhecer pessoalmente

Sabem um desses momentos em que nos apercebemos tomando consciência de que a vida é curta e passa muito rápido e que deveríamos tomar uma atitude e causar uma reviravolta na nossa maneira de aproveitar o tempo? Pois bem, de uns tempos para cá, atinei que conhecer o mundo apenas pelos livros de geografia ou pelos programas de viagem passados na televisão não seria uma atitude muito sensata a ter e que eu deveria, e precisava, ousar um pouco mais.

Ao descobrir na motocicleta um meio de transporte mais prazeroso, percebi que poderia unir, como diz o ditado, o útil ao agradável. Dessa forma, em vez de, através dos livros e programas de TV, apenas me imaginar visitando lugares e paisagens belíssimas eu, de fato, tomara a decisão de ir conhecê-las pessoalmente.

Devo confessar que ao iniciar essa expedição ao nordeste tinha muitos receios a respeito de se havia planejado tudo de forma correta e completa. Hoje, vejo que, apesar das preocupações, cada km percorrido valeu a pena.

Os momentos de alegria foram muitos. Por outro lado, também alguns infortúnios surgiram pelo caminho e trouxeram ainda valiosos aprendizados. Vi inúmeras e fantásticas paisagens e me diverti com muitas brincadeiras; senti o frescor das águas calmas e agradáveis dos rios e mares nos quais mergulhei; senti-me confuso e frustrado nos instantes em que o planejamento saiu do controle; presenciei o raiar do dia e o entardecer do alto de dunas e montanhas; andei de moto por boas estradas, pela areia do deserto, e ainda, de jangada, atravessando trechos de mar que avançavam terra adentro; conheci pessoas de alma nobre e generosa que fizeram-me companhia ou ajudaram-me quando necessário; escutei a correria e buzinaço nas áreas urbanas e o calmo sopro do vento, à beira do mar, nas praias e campos desertos.

Enfim, arrisquei deixar meus medos e minha acomodação para trás e, mais uma vez, ir de encontro ao mundo e suas consequências. Ao final, estando com todos os ossos no lugar, pude voltar para contar a minha história, minhas sensações e interpretações, o que deu certo e onde falhei, enfim, as experiências vivenciadas. 

Quem sabe, leitor, você não se motiva a fazer o mesmo. O mundo não está somente nos livros de geografia e nas impressões passadas pelas viagens transmitidas na televisão, ou no relato das outras pessoas. Essas são as percepções das outras pessoas. O mundo está lá fora. Vá conhecê-lo e tirar suas próprias conclusões.

Retornando para BH/MG.
Retornando para BH/MG.

A serra da cidade de Bela Vista/MG lá no fundo.
A serra da cidade de Bela Vista/MG lá no fundo.

Belas paisagens na BR-381.
Belas paisagens na BR-381.

BR-381 - Pista dupla em quase todo o trajeto.
BR-381 - Pista dupla em quase todo o trajeto.

Chegada em Belo Horizonte/MG já anoitecendo.
Chegada em Belo Horizonte/MG já anoitecendo.

Então? Já escolheu o destino de sua próxima viagem? ... faço torcida para que sim. E volte para contar a sua história.

Hotel: – “Ora bolas”! Como assim hotel? Por hora, casa...




SOBRE O AUTOR

2 comentários:

  1. Muito bom seus relatos. Bem específicos principalmente quanto as cidades e estradas. Só acho que poderia ter sido mais específico nos gastos e feito um balanço do valor total gasto mesmo assim dá pra ter uma noção bem grande de toda a viagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Jhonatan! Obrigado pela sugestão! Numa oportunidade futura posso revisar os artigos e acrescentar outras informações a respeito dos valores mas básicos como gasolina, por exemplo.

      Por hora, para informações mais detalhadas, fique à vontade para enviar um e-mail para kallaswebmail@gmail.com. Terei prazer em responder as dúvidas.

      Excluir


ATENÇÃO! Comentários são sempre bem vindos por incentivarem o debate, a troca de informações e enriquecerem bastante o conteúdo do artigo. Contudo, justificadamente, foram estabelecidas normas na Política do Site que estipulam algumas restrições. Em resumo, poderão ser removidos:
  • se não tiverem relação com os assuntos abordados no artigo;
  • caso contenham links para divulgação não autorizada de blog ou site (comente com seu Nome/URL ou OpenID, nesse caso);
  • se possuírem propagandas de qualquer natureza - spam;
  • caso apresentem palavras grosseiras ou ofensas a quaisquer pessoas ou marcas;

Categorias