Translate to your language

domingo, 1 de setembro de 2013

Dia 03. Recuperando as energias


Domingo, 01 de setembro de 2013.
De Água Clara/MS/Brasil a Campo Grande/MS/Brasil (198 km)

Após a tortura das condições climáticas e a carnificina do dia anterior, foi bem merecida uma tarde de descanso na viagem... Este é o relato de mais um dia na Expedição América do Sul, uma viagem de moto que fiz acompanhado do primo Pedro passando por alguns países da América do Sul durante o mês de setembro de 2013. Uma viagem extraordinária em que foram vivenciadas muitas emoções ao longo do trajeto. Passamos calor e frio, tivemos alegrias e dificuldades, momentos de tranquilidade e apreensão. Continue lendo para acompanhar a viagem.


Trajeto do dia:

Trajeto de Água Clara/MS/Brasil a Campo Grande/MS/Brasil - 198 km.
Trajeto de Água Clara/MS a Campo Grande/MS.

Trajeto detalhado:

Trajeto detalhado de Água Clara/MS/Brasil a Campo Grande/MS/Brasil - 198 km.
Trajeto detalhado de Água Clara/MS a Campo Grande/MS.

Relaxe, está tudo tranquilo

Acordei em torno das 8h, tomei café e arrumei minha bagagem. A partir daí constatei que levaria sempre uns 30/40 minutos para deixar a moto carregada para seguir viagem. Assim, um dia comum de viagem deveria contar com esse tempo extra de arrumação das malas e montagem na moto.

Preparando para sair:


Preparando para partir. Início com muito calor.
Preparando para partir. Início com muito calor.
Como faltavam poucos quilômetros (198 km) até Campo Grande/MS (ponto de encontro com o primo Pedro), dormi um pouco mais e saí 9h. A viagem foi tranquila e, como de costume, acompanhada de muito calor e retas.

Calor e muitas retas.
Calor e muitas retas.
PARE, OLHE, ESCUTE. A linha de trem cruza a rodovia.

Cuidado ao cruzar o trilho de trem.
Cuidado ao cruzar o trilho de trem.

Quero um quarto com ar-condicionado

Assim que cheguei no hotel em Campo Grande/MS, nem esperei para passar na recepção e verificar se havia vagas disponíveis, pois, entrei direto na garagem e acomodei a moto em uma das vagas. Dias antes, já havia consultado os preços das acomodações do hotel e, havendo quarto disponível, ficaria de qualquer maneira.

Garagem do hotel em Campo Grande/MS.
Garagem do hotel em Campo Grande/MS.
Acertada toda a burocracia, o recepcionista mostrou-me o quarto (no térreo, obviamente) e, logo em seguida, removi os alforges e o baú da moto e acomodei-os no quarto. Pedi um marmitex e, no meio do almoço, tomei consciência de que havia deixado a moto debaixo de um coqueiro. Levantei na mesma hora para manobrá-la e colocá-la em um local mais seguro (havia deixado justamente a frente da moto debaixo do coqueiro e um painel quebrado naquele momento poderia comprometer a viagem).

Tirei o resto do dia para descansar e atualizar os relatos no site. Realmente, estava bastante quente e abafado, e o ar condicionado do quarto não conseguia esfriar direito o ambiente e mantê-lo em uma temperatura mais confortável.

Havia conseguido fazer o Netbook funcionar, removendo sua bateria interna e deixando-o ligado apenas na energia elétrica, torcendo para que continuasse assim: funcionando bem e sem falhas... Caso contrário, estaria encrencado, pois, a fronteira com a Bolívia estava próxima e, se fosse o caso, teria que tomar, rapidamente a decisão de adquirir mais alguns cartões de memória.

O dia foi de descanso e tranquilidade, contudo, ao anoitecer (por volta das 21h30), fiquei um pouco receoso de que pudesse ter havido algum problema com o Pedro no caminho, pois, a rota dele era menor que a minha, até Campo Grande/MS, e já eram 21h30 e ele ainda não havia chegado. Eu sabia que ele havia saído mais tarde, no Sábado (31/08/2013), mas, conhecendo bem o Pedro, também estava seguro de que ele faria essa distância facilmente nos dois dias programados para tal (Sábado e Domingo)

Então, também tranquilizei-me pelo fato de que, na manhã do dia anterior, numa conversa por telefone, ele comentara que atrasaria o horário da viagem por conta de alguns acertos que restavam por fazer na moto. Assim, momentâneamente sem comunicação com o Pedro, o máximo que poderia fazer era aguardar sua chegada.


Enquanto isso...

Muito bem, retrocedendo algumas horas antes, naquele mesmo dia, enquanto me recuperava do desgaste sofrido, pelo calor excessivo que peguei nos dois dias anteriores... vejam:

Pedro em dificuldades no interior de Goiás.
Pedro em dificuldades no interior de Goiás.
Esse é o Pedro. “ôôô vida boa, hein, que beleza?”

...Pensava comigo mesmo: - a "mula do Pedro teve oito meses para arrumar as coisas e deixou tudo para a última hora e já vamos começar atrasados. Vamos precisar compensar nos próximos dias. E eu nessas condições! Não vou conseguir voltar vivo” (num raciocínio inexplicável, sem sentido e desespero típico dos acontecimentos de fim do mundo).

Nesse ínterim, pelas 22h30, chega o Pedro, todo sujo, exausto, dolorido e com algumas avarias na moto. Já adivinharam? Explicarei: pela má sinalização, e devido às obras locais, ele se desviara da rota original, perto de Jataí/GO. Terminou por entrar em uma estrada sem asfalto e, dadas as condições precárias do chão de terra, acabou caindo três vezes. Na última delas, após ter batido as costelas numa pedra, estava tão sem força para levantar a moto que acabou por terminar debaixo de um arbusto, a esperar que alguém passasse pela estrada e o ajudasse.

Obviamente, que alguém ajudaria, pois, a moto ficou estirada no chão, no meio da estrada. Se observarem bem, na foto a seguir, poderão ver a moto caída. Aquele pontinho preto, no meio da estrada, impedindo a passagem, é a moto do cidadão.

Moto do Pedro tombada na estrada de terra.
Moto do Pedro tombada na estrada de terra.

Queda do Pedro.
Queda do Pedro.
Contou que sua última queda aconteceu por volta de 13h30 e que ficou até umas 16h30, esperando (sob aquele mesmo arbusto), por alguma ajuda para levantar a moto. Desidratado, e já sem mais nenhuma gota de água, algumas vezes arriscava se deslocar para pontos mais altos a fim de tentar obter algum sinal de telefonia móvel.

Nesse intervalo de reflexão, contou-me depois que também pensara algo (em tom de ironia): - “ótimo, a besta do Gilberto me deu uma estrada de terra para passar e ainda saiu um dia antes para descansar e ficar tranquilo... muito bem!”.

Num último golpe de esforço, sozinho e ao fim da tarde, conseguiu levantar a moto para continuar a viagem. Conta que assim que terminou de erguer a moto chegou um carro, com um homem e sua família (esposa e filhos pequenos). Tomou bastante água que lhe foi cedida e ainda encheu uma garrafa de reserva.

Família que ajudou o Pedro no interior de Goiás.
Família que ajudou o Pedro no interior de Goiás.
Após contarmos nossas experiências e percepções, pudemos revigorar o ânimo, pois, ambos passamos por dificuldades (eu, não tanto quanto as do Pedro) e, apesar de tudo, ainda nos mostramos empenhados em continuar. Comentei que poderíamos utilizar o dia seguinte para que ele pudesse descansar, pois, eu já havia descansado um pouco, porém, respondeu-me que tomaria algum remédio para dor e que, por ora, daria para seguirmos normalmente o cronograma.

Dividimos o quarto do hotel e pedimos pizza portuguesa para o jantar.

Acomodações do dia:

Quarto do hotel em Campo Grande/MS.
Quarto do hotel em Campo Grande/MS.
Valor do hotel: R$60,00 (US$26,09)


Dicas de viagem

  • No caso do Pedro, ele foi “lançado”, sem alternativas, para um desvio na estrada, porém, quando não for esse o caso e não tivermos muita clareza a respeito da estrada a ser seguida, pode ser bom pedir informação a algum motorista de caminhão ou funcionário de posto de gasolina, a fim de nos esclarecermos sobre as condições do caminho que queremos seguir.
  • Independentemente da distância a ser percorrida numa viagem, sempre tenha algo para comer na bagagem e jamais deixe de levar água, pois, na infelicidade de precisar esperar por ajuda, pelo menos, terá o que comer e beber durante algum tempo.
  • Tenha sempre em mãos algum mapa das estradas pelas quais passará (no artigo “Mapas rodoviários impressos e para GPS” abordo sobre algumas vantagens e desvantagens de se levar mapa impresso ou GPS).



SOBRE O AUTOR

2 comentários:

  1. Fala Gilberto, cade as noticias? ta deixando o pessoal aqui tenso!!!

    Guilherme

    ResponderExcluir
  2. Parabéns filho.
    Siga em frente.
    Ivan

    ResponderExcluir


ATENÇÃO! Comentários são sempre bem vindos por incentivarem o debate, a troca de informações e enriquecerem bastante o conteúdo do artigo. Contudo, justificadamente, foram estabelecidas normas na Política do Site que estipulam algumas restrições. Em resumo, poderão ser removidos:
  • se não tiverem relação com os assuntos abordados no artigo;
  • caso contenham links para divulgação não autorizada de blog ou site (comente com seu Nome/URL ou OpenID, nesse caso);
  • se possuírem propagandas de qualquer natureza - spam;
  • caso apresentem palavras grosseiras ou ofensas a quaisquer pessoas ou marcas;

Categorias