Translate to your language

segunda-feira, 14 de março de 2016

Dia 26. Nossa! Que água fria


Quarta-feira, 27 de agosto de 2014.
Armação dos Búzios/RJ (0 km).

Um banho de água fria no mar de Armação dos Búzios, no Estado do Rio de Janeiro. O passeio de barco pela orla marítima foi uma maravilha, mas, nadar naquela água gelada não foi nada agradável. Este é o relato de mais um dia na Expedição Litoral Nordestino, uma viagem de moto que realizei sozinho pelo nordeste brasileiro durante o mês de agosto de 2014. Belíssimas paisagens foram vistas e muitas experiências foram vividas: da calmaria de um encantador pôr do sol em Jericoacoara/CE à fuga alucinada, na calada da noite, em Petrolina/PE... fortes emoções foram vivenciadas. Continue lendo para acompanhar a viagem.

A vida é uma viagem a três estações: ação, experiência e recordação.  Júlio Camargo


Trajeto do dia

trajeto do passeio em Armação dos Búzios/RJ.
Imagem retirada da internet. Meramente ilustrativa.

"Quem né ucê"?

Olhei no relógio e era perto de 2h da madrugada. Obviamente que estava muito adiantado para o horário do passeio desse dia, que só sairia às 10h. Na verdade, o que aconteceu foi que acordei com mal estar. Talvez, por ter ido dormir com o estômago cheio logo depois de ter jantado. Pois, bem, teria que dar uma solução e rapidamente lembrei que em minha bolsa de remédios havia sal de frutas, então, fui até o estacionamento do hotel para pegá-lo. Algum tempo depois melhorei e voltei a dormir.

Horas mais tarde deixei a cama definitivamente. De café tomado, eram 9h15 quando chegou o táxi que eu havia solicitado. Não estava incluso no pacote do passeio de barco o traslado da pousada até o porto, então, tive que me virar. Fui deixado na praça central da cidade, localizada a menos de 10 minutos da pousada.


Praça central em Armação dos Búzios/RJ.
Praça central em Armação dos Búzios/RJ.
Atravessei o calçadão da praça e rapidamente encontrei a agência de turismo. Depois de acertados os custos do passeio (R$50,00), ia saindo do estabelecimento quando um rapaz, acompanhado de sua noiva, chamou-me a atenção.

— Ei, Kallás – disse ele.

Surpreso, os observei. Esforcei-me para tentar lembrar algo sobre quem eram e se já os tinha conhecido em algum outro tempo e lugar, mas, minha memória, um tanto destreinada e costumeiramente desatenta, confesso, não conseguiu trazer-me à consciência nenhum dado concreto ou recordação dessas pessoas a fim de que eu pudesse lhes reconhecer.


Um turista de Brasília/DF me reconheceu em Búzios/RJ.
Um turista de Brasília/DF me reconheceu em Búzios/RJ.
Como diria já falecido parente, há muitos anos, libanês com razoável desenvoltura em nossa língua oficial e peculiar sotaque, se ainda hoje estivesse vivo:

— “Quem né ucê”? (leia-se: Quem é você?) – pensei comigo.

Ele se apresentou e de fato não nos conhecíamos. Comentou ter lido a narrativa de outra viagem que eu já havia feito e, por isso, tinha me reconhecido. Fiquei contente com a notícia e o fato de a minha história ter agradado!


Reúnam-se todos. O passeio vai começar.

Também disse que ele e sua noiva iriam no mesmo passeio e, assim, continuamos a prosa sem nos desviarmos do assunto (viagens de motocicleta) até o momento em que o guia do passeio nos reuniu numa roda de orientações.


Ouvindo as instruções do guia de passeio.
Ouvindo as instruções do guia de passeio.
Em alguns poucos minutos ele discorreu sobre como seria o passeio, por onde iríamos passar, quanto tempo duraria (4h), em resumo, acerca dos procedimentos gerais. Também alertou que, por causa do vento, se fosse o caso, determinados pontos do trajeto poderiam ser cortados para a segurança da embarcação e de todos que lá estivessem. Ao final, nos convocou para uma pequena caminhada até o porto de onde partiríamos.


A caminho do pier.
A caminho do pier.

Caminhando pelo pier de Búzios/RJ.
Caminhando pelo pier de Búzios/RJ.

No pier de Búzios/RJ.
No pier de Búzios/RJ.
A quantidade de embarcações que avistei me fez pensar que havia um barco para cada família da cidade.


Bela vista da Orla de Búzios/RJ.
Bela vista da Orla de Búzios/RJ.

Barcos ancorados na orla de Búzios/RJ.
Barcos ancorados na orla de Búzios/RJ.
Tivemos que esperar uns 10 minutos até que o capitão aportasse nossa embarcação junto ao píer.


Nosso barco de passeio.
Nosso barco de passeio.

Aguardando na fila para entrar no barco.
Aguardando na fila para entrar no barco.

Com todos a bordo saímos e fomos contornando a orla de Búzios/RJ. O itinerário passaria pelos seguintes pontos:
  • praia Azeda;
  • praia Azedinha;
  • praia de João Fernandes;
  • ilha Branca;
  • ilha Feia (dependendo das condições climáticas);
  • praia da Tartaruga.
O céu, ora com boa visibilidade, ora com um bocado de nuvens, era estável, não mostrava risco de chuva, e ao longo de toda a primeira parte do trajeto vimos belas paisagens.

Pequena ilha próximo da orla de Búzios/RJ.
Pequena ilha próximo da orla de Búzios/RJ.

Vendo Búzios/RJ.
Vendo Búzios/RJ.

Búzios/RJ.
Búzios/RJ.

Barco cheio/RJ.
Barco cheio/RJ.

Olhe para trás. Vai perder a paisagem.
Olhe para trás. Vai perder a paisagem.

Só alegria!
Só alegria!

Passeio de barco em Búzios/RJ.
Passeio de barco em Búzios/RJ.

Casas na ilha.
Casas na ilha.

Pose para foto.
Pose para foto.

Nas proximidades de Búzios/RJ.
Nas proximidades de Búzios/RJ.

Litoral de Búzios/RJ.
Litoral de Búzios/RJ.

Barco agitando o mar de Búzios/RJ.
Barco agitando o mar de Búzios/RJ.

Aproximando-nos da ilha. Búzios/RJ.
Aproximando-nos da ilha. Búzios/RJ.

Mar sem fim...
Mar sem fim...

Parada para banho de mar. Búzios/RJ.
Parada para banho de mar. Búzios/RJ.

Batendo queixo...

Em determinado ponto, com uma bela praia ao fundo, o capitão ancorou o barco e autorizou que pulássemos para fora do barco, era a hora do tão esperado banho de mar.

Devo dizer que estava um pouco ansioso por saber qual seria a temperatura da água, não em números propriamente, mas, em relação à percepção que teria dela. Ouvi muito dizerem que as águas dessa região possuem mesmo temperaturas mais frias e o meu receio era maior ainda pelo fato de estarmos em plena época de inverno (era mês de Agosto).

Enfim, apesar do que imaginava, só iria descobrir a verdade saltando do barco. Então, posicionei-me na borda lateral da embarcação, tomei fôlego e, a exemplo da criançada que logo vai pulando para dentro d’áqua sem nem ao menos verificar se está boa ou ruim, lá fui eu... “homem ao mar”.

Preparando-me para pular.
Preparando-me para pular.

Já para a água...
Já para a água...

Ai que água fria!
Ai que água fria!


— Nossa, socorro! Tenho que sair rápido daqui. – falando comigo mesmo assim que emergi do mergulho.

Em ligeiras braçadas dei a volta pelo pequenino barco, que nesse momento pareceu ter o tamanho do Titanic, e saltei novamente... só que dessa vez para fora daquela geladeira. Subi correndo até o segundo andar ao mesmo tempo em que bradava para todos retornarem a seus postos na embarcação. Já lá em cima convoquei o capitão para zarparmos.


Deixa comigo. Minha vez de pilotar o barco.
Deixa comigo. Minha vez de pilotar o barco.

Seguindo para outro ponto turístico.
Seguindo para outro ponto turístico.


Churrasquinho ambulante

Em seguida, fomos até uma ilha pouco mais distante da orla.


Gaivota sobrevoando o mar de Búzios/RJ.
Gaivota sobrevoando o mar de Búzios/RJ.

Uma ilha mais distante da orla de Búzios/RJ.
Uma ilha mais distante da orla de Búzios/RJ.


Depois, retornamos para as praias da orla de Búzios/RJ.


Ouriços do mar.
Ouriços do mar.


Assim que chegamos à Praia da Tartaruga o capitão “estacionou” o barco novamente e, então, anunciou outra parada para banho que eu não arrisquei nem colocar os pés na água por causa da "tortura" que foi a primeira experiência. 

Instantes depois, duas outras embarcações menores, movidas a motor, se aproximaram de nós trazendo espetinhos (de carne, frango, queijo e camarão), assados na hora, em uma churrasqueira ambulante.


Churrasco em alto mar.
Churrasco em alto mar.

Arrematei um espetinho para mim também.
Arrematei um espetinho para mim também.

De volta à praia de Búzios/RJ.
De volta à praia de Búzios/RJ.


Conhecendo gente

À bordo do “Libertas III” (nome do barco que nos levou no passeio), no retorno para o píer, a prosa corria solta e acabei conhecendo outros dois casais conterrâneos. Um deles, inclusive, “largou” tudo onde residia e mudou o rumo da vida indo morar em Búzios.


Canoa ancorada no litoral de Búzios/RJ.
Canoa ancorada no litoral de Búzios/RJ.

Retornando do passeio pelo litoral de Búzios/RJ.
Retornando do passeio pelo litoral de Búzios/RJ.

E a galera tomando todas no barco.
E a galera tomando todas no barco.

Só festa!
Só festa!

Foto de despedida.
Foto de despedida.

Às 14h retornamos ao ponto de onde havíamos partido.


Capitão fazendo pose para foto.
Capitão fazendo pose para foto.


Após o desembarque encontrei um restaurante na Rua das Pedras e parei para comer algo. Depois, dei uma volta por algumas ruas do centro para conhecer melhor o lugar.


Passeando pelo centro de Búzios/RJ.
Passeando pelo centro de Búzios/RJ.

Mais tarde, por volta das 17h, peguei um táxi e voltei para a pousada.


Vamos para casa?

O trajeto dessa viagem de férias, daí em diante, teria duas alternativas: a primeira, retornar diretamente para Belo Horizonte/MG (585 km) encerrando de vez a expedição; e a segunda, dar a volta pelo sul das Minas Gerais e passar na cidade de Santa Rita do Sapucaí (950 km até o fim da viagem) para visitar alguns primos que iriam comemorar aniversário no fim de semana.

Pois bem, sem pensar duas vezes, dado que estava com certa folga até o dia em que as férias terminariam, principalmente, por causa das praias que foram cortadas do cronograma, então, optei por fazer o contorno pelo sul de Minas para rever os parentes e prolongar um pouco mais a diversão da viagem.

Assim, reprogramei o trajeto final conforme os novos objetivos e verificando na internet as principais cidades pelas quais passaria, suas respectivas distâncias e rodovias.


Caminho de volta.
Caminho de volta.

Fui dormir por volta de 11h.

Hotel: R$120,00.



SOBRE O AUTOR

0 comentários:

Postar um comentário


ATENÇÃO! Comentários são sempre bem vindos por incentivarem o debate, a troca de informações e enriquecerem bastante o conteúdo do artigo. Contudo, justificadamente, foram estabelecidas normas na Política do Site que estipulam algumas restrições. Em resumo, poderão ser removidos:
  • se não tiverem relação com os assuntos abordados no artigo;
  • caso contenham links para divulgação não autorizada de blog ou site (comente com seu Nome/URL ou OpenID, nesse caso);
  • se possuírem propagandas de qualquer natureza - spam;
  • caso apresentem palavras grosseiras ou ofensas a quaisquer pessoas ou marcas;

Categorias